Tribunal

 :: Nível 10

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Master em Sex Nov 22, 2013 2:39 pm




Tribunal

No tribunal é onde são julgados todos e quaisquer crimes e ações que quebrem as leis da Magia.




-------------------------------------------------------------
avatar
Informacion
Mensagens : 188
Pontos : 412

Dados Especiais
Experiência : 00/100
G$: 00,00
Status:
StatusPontos
Vitalidade0
Energia0
Ver perfil do usuário
CLINICO GERAL
Unidade Hospitalar Magica

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Master em Ter Nov 26, 2013 6:00 pm
2ª Parte - O Julgamento


Convidado, seja bem vindo(a) a narração de nossa trama, abaixo seguirá algumas instruções para um bom desenvolvimento da mesma, espero que goste.
- Todos tem até 20 minutos para responder ao post do narrador, após o narrador postará novamente.
- Não existe ordem de postagem.
- Quem chegar depois da primeira postagem do narrador deverá postar como quem tivesse passado pela situação anterior.
- Mínimo 4 linhas de interpretação.
- Todas as ações são imprevisíveis, lembre-se que o narrador pode manipular seus atos.

Hoje era o dia tão esperado pelo Juiz da Suprema Corte, a poucos dias tinha recebido uma denuncia de um grupo de alunos de Hogwarts, e para melhor averiguar os pontos contou com sua ilustre equipe de aurores e ministeriais para solucionar a situação, mas acreditando que todos tem uma chance de se defender antes do tão esperado e desejado beijo do Dementador, convocou Valquíria C. B. Schatten, a julgada, o grupo de bruxos e bruxas que estiveram no baile para o tal julgamento.
No palanque do tribunal encontrava-se o Juiz e o Ministro da Magia, ambos continham nos lábios sorrisos convidativos e mantinham uma conversa amena, ao lado direito do palco estava os jurados e a frente várias cadeiras somente com os alunos de Hogwarts, a frente delas estavam em destaque Ilya e Lilith, ao lado de ambas estavam Gregory e o Vice Ministro, no lado esquerdo do palco estavam os demais presente no Baile de Mascara, todos aguardando o julgamento, na parte inferior do tribunal posicionados à porta e em cada canto do lugar estavam alguns dos Aurores.
Vendo que todos já estavam em seus devidos lugares, o Juiz deu dois passos a frente e fitou a todos com um sorriso nos lábios.
- Boa Noite a todos. - sibilou calmamente.
Olhou para um canto e depois para o alto e fez sinal para que um dos aurores que estavam ao seu lado pudesse trazer a julgada, Valquíria C. B. Schatten, em questão de segundos o oficial já estava a sua frente com a mesma em seu encalço, posicionou-a no centro do lugar e a fitou nos olhos enquanto aguardava a agitação que agora expandida, cessar.
Editado por Narrador

avatar
Informacion
Mensagens : 188
Pontos : 412

Dados Especiais
Experiência : 00/100
G$: 00,00
Status:
StatusPontos
Vitalidade0
Energia0
Ver perfil do usuário
CLINICO GERAL
Unidade Hospitalar Magica

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Aislinn M. S. Bitchshosk em Ter Nov 26, 2013 6:11 pm

Era uma vez ...
Aislinn, a menina que falava com as cobras.


Lá estava eu novamente metida em confusão, dessa vez eu recebi um carta nada agradável do Ministério da Magia que deveria comparecer ao tribunal bruxo para depôr sobre o que eu tinha visto no baile, por onde eu tinha ficado sabendo, eu havia ido embora instantes antes da grande confusão, sempre no lugar errado, na hora errada não é mesmo Aislinn?! Estranhamente meus irmãos não haviam sido convocados, ah! Que beleza! Eu acompanhava um outro grupo de alunos, que como eu haviam sido convocados para comparecer, um grupo não muito grande. Eu nunca quis estar no lugar do réu, nem mesmo como testemunha para depôr naquele tribunal em alguma vez, pois sabia o quão ferrada eu estaria quando chegasse a esse ponto. Me sente naquela cadeira dura, podiam ter pelo menos disponibilizado uma almofada né? Não ia matar nenhum deles com toda certeza, me encolhi colocando os pés sobre a cadeira, eu era pequena em cima dela, um homem a minha direita, já que eu estava na ponta me encarou feio, desci os pés ao chão e olhei a mulher que ia ser julgada sendo trazida, era Valquíria, minha madrinha. - VAL, NÃO! - Me ergui no mesmo momento, o homem agarrou meu braço me puxando de volta pra cadeira e me encarando de forma nada doce um auror, é claro, o olhar dela encontrou o meu, tive medo de que fizesse mal a ela, meus olhos encheram de água, onde estava Pria?

avatar
Informacion
Mensagens : 126
Pontos : 146
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Dionisio R. Howard em Ter Nov 26, 2013 6:12 pm





Julgamento!


* Pela primeira vez "O ministério" estava em minha lista de afazeres... interessante!*
*Vesti minhas roupas formais e calcei um sapato social... afinal, agora era um respeitado professor. Fui ao local do julgamento, que pelo oque haviam de dito, estariam sendo julgada uma mulher cujo estaria sendo acusada dos sequestros no baile a fantasia.*
* Entrei no local, no altar estava o sempre insuportável Conrad: o único que poderia me desvendar. Sentei em uma das cadeiras do auditório e observei todos, nenhum dos meus colegas estavam ali.*
- Vamos ver oque o ministro pensa!
* Comecei a vasculhar a mente do ministro, realmente ele estava calmo e esperançoso.*
- Vejamos até quando...- * Sussurrei.*


Thanks B'doll @ TPO


Última edição por Dionisio R. Howard em Ter Nov 26, 2013 6:19 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Informacion
Mensagens : 340
Pontos : 344
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Pria Amundsen Bitchshosk em Ter Nov 26, 2013 6:13 pm



This is that original♕
This has no identical


“Ei, aonde está sua animação costumeira senhorita Pria? Aonde foi que você perdeu toda sua jovialidade e ficou aos prantos pelos cantos, como quem não tem um pingo de esperança de um futuro prospero?”... E amanhecendo depois de uma noite conturbada, a garota começou novamente o dia resmungando formalmente em seu subconsciente, na intenção de realizar uma bronca efetivamente moral a si própria. Sua barriga logo revirou-se com a grande dose de bebidas misturadas que havia preparado e bebido na noite anterior. Talvez pelo fato de não ter se alimentado direito antes disso ou então pela moleza estagnada em seu corpo há dias. De fato não se encontrava em um bom dia, ou melhor em uma boa semana, mas faria de tudo para não estraga-la ainda mais. Já não bastasse aquelas mensagens estranha que havia recebido de possíveis assassinos, ainda encontrava-se completamente confusa em relação ao corvino. Com certeza ele não sentia o mesmo por ela, ou talvez... Chega da palavra talvez, pelo menos por hora. O foco deve estar voltado para o inicio das aulas, e em nada mais.

Assim que retirou seus últimos pertences da mala, pegou as vestes mais simples e foi em direção ao banheiro para se trocar rapidamente. Tomou um rápido banho e vestiu-se com enorme pressa, pois encontrava-se levemente atrasada para a refeição matinal. Por fim, fez uma linda trança lateral e se maquiou apenas com o básico deixando a boca como o centro de toda cor, colocando um lindo batom na cor coral. Assim que terminou de arrumar-se, desceu as escadas do dormitório feminino e deixou a comunal saindo em disparada na direção do salão principal... Local esse onde as mesas já se encontravam abarrotadas de alunos famintos a se deliciar com mais um daqueles enormes banquetes proporcionados pelos cozinheiros de Hogwarts. Cada prato especialmente preparado parecia ser ótimo e saboroso e Pria nunca sabia o que escolher primeiro. Sempre tentava variar, mas o pudim de leite condensado, em especial, nunca poderia falta em sua refeição. Assim que terminou seu café, saiu do recinto completamente satisfeita. - Nada como um café-da-manha como esse. Pelo menos alguma coisa ainda me anima neste castelo, ultimamente.

A tarde chegou lentamente, fazendo Pria adormecer por algumas horas tediosas... Acordou completamente afobada se lembrando de um afazer.  Encontrava-se indignada com o fato de um julgamento como esses.  Em sua opinião faltavam-lhe provas para incriminarem a réu em questão: Valquíria C. B. Schatten - Mas que droga, havia me esquecido do tal julgamento. Que raios ter de ir presenciar isso. Tenho certeza que a querida Val não teve nada a ver com os sequestros da noite do baile. Espero que seja logo inocentada dessa calunia. E espero não ter que perder minha tarde inteira com isso!- arrumou-se com a roupa mais formal que possuía e junto a sua tia Sylenne aparatou do castelo, desaparatando logo em seguida no tribunal. Todos os presentes no baile estavam ali. Uns transpareciam mais calma do que outro. Pria se sentia estranha, como se estivesse sendo observada a cada instante e a qualquer momento outro rapaz pudesse aparecer a sua frente e dar-lhe outra mensagem sobre o seu tão esperado futuro. Observou Aislinn de longe, e sua cara não era a das melhores. Foi até ela e segurou em sua mão, não dizendo nada.... apenas tentando conforta-la com seu gesto terno.
avatar
Informacion
Mensagens : 110
Pontos : 136
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lilith H. Romanov em Ter Nov 26, 2013 6:19 pm

you knew i were trouble...

   Depois de tudo o que aconteceu no baile, o sequestro que eu havia sofrido, e até mesmo o que eu havia aprontado para fugir, que admito foi muito divertido, fiquei sabendo que haveria um julgamento.
Não sabia ao certo do por que desse tal de julgamento mas sabia que eu tinha de estar presente, por eu ter estado entre os sequestrados.
"Respirei" fundo quando fui levada para o ministério junto com todos os outros alunos que estiveram no baile, estava bem vestida, um vestido um pouco acima do joelho, um espartilho, meias grossas e um sobretudo por conta do "frio".
Quando cheguei ao tribunal, uma grande sala, fui posta em um dos lugares um tanto quanto expostos, dei um sorriso, me sentia estando em uma fileira VIP, mesmo que não fosse por um bom motivo.
Ajeitei minha postura apenas ouvindo com atenção e esperando o que se seguiria ali.

...so shame on you now

avatar
Informacion
Mensagens : 234
Pontos : 265
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Mischa R. Howard em Ter Nov 26, 2013 6:19 pm

Devil In Disguise

Muitos dias de 'divertimento' no trabalho se passavam como se eu estivesse encarcerada dentro uma cela, era chato e entediante, mas as vezes podia me servir muito bem. Eu Mischa, linda e bela como sou, trabalho entre os inomináveis, o que pra mim servia perfeitamente bem.
Mas outra coisa chamou minha atenção, quando todos os funcionários do ministérios foram convocados a comparecer ao tribunal, no julgamento sobre o que havia se precedido ao baile de máscaras, onde uns e outros foram sequestrados, cenas brilhantes alias.
Dei um sorriso para mim mesma um tanto sádico curiosa com o que estava por vir.
Me vestia como tinha costume (como no avatar), e o sobretudo do ministério cobria minhas vestes.
Andei graciosamente acenando com um sorriso aos companheiros de trabalho do ministério pelo caminho até chegar a sala do tribunal, onde o julgamento estava prestes a acontecer.
Passei pela porta dando uma leve olhada em volta dando um sorriso quando algo me chamou a atenção.
Me dirigi, sentando em meu lugar no meio dos funcionários, encarando o ministro, atenta ao meu redor.


♦ Mischa R. Howard ♦
avatar
Informacion
Mensagens : 119
Pontos : 123
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Nathan Webster em Ter Nov 26, 2013 6:23 pm

Apenas um trabalho;
Interagindo, mestrado...

Estava trajado com suas vestes negras de jure aquela noite, a espera do julgamento de alguém que um dia presumiu conhecer. Era um péssimo momento, conclui o para si, mas manteve sua expressão inabalável e um sorriso avassalador entre os lábios, como se tudo não passa-se de um simples show de marionetes. O salão estava cheio, notou ao adentra-lo, seguindo para próximo do ilustre ministro, a quem cumprimentou com um tom muito delicado, porem nada intimidado. - Senhor ministro, e sempre uma honra revê-lo - Não demorou para que ambos entrassem em um debate razoavelmente esclarecedora, onde as suspeitas assim como opiniões eram expostas. De sobre o palanque, Wendel se sentia visível, quase que como onipotente.

Movimentou a cabeça em comprimento para alguns rostos conhecidos, logo desviando o olhar para seu superior, retomando o assunto debatido. Foi então que com um sinal quase imperceptível, o Ministro demonstrou certa impaciência. O rapaz então tomara sua posição, dando passos a frente, enrijecendo a postura perante os demais ali pressentes permitindo que o sorriso desaparecesse dos lábios.

Boa Noite a todos. - Pausou, esperando o retorno de seu comprimento - Agora declaro que a audiência para prestações de esclarecimentos se inicia. - Gesticulou para os aurores, assim permitindo que a acusada fosse trazida perante o réu, para um justo e imparcial julgamento.

Não demorara para que ela entrasse, logo Wendel se via a olha-la fixamente, petrificado em um quase desespero oculto. Tentou recobrar sua posturar, esquecer que um dia ela fora sua amiga, devia ser justo perante o tribunal.
Credits to Rapture
avatar
Informacion
Mensagens : 13
Pontos : 13
Ver perfil do usuário
CLINICO GERAL
Unidade Hospitalar Magica

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Melys L. Syddle Bolter em Ter Nov 26, 2013 6:25 pm

E COMO O SOL NASCE DE MANHÃ, O FRIO ME ABRAÇOU

A calada da noite trazia a promissa dos acontecimentos futuros nos próximos momentos que Melysia presenciaria. A jovem de cabelos louros e compridos que como sempre, deslisavam por suas costas de forma perfeita e majestosa utilizava apenas um sobretudo preto, que contrastava-se com sua pele pálida e sua boca de um vermelho sangrento, sobre o vestido simples que a cobria. Seus passos eram rápidos e ritmados. Procurava olhar o relógio a cada cinco minutos, pensando apenas em não se atrasar para o julgamento que deveria testemunhar. Em poucos instantes, encontrava-se dentro da cabine telefônica que a levaria para dentro do Ministério da Magia, a entrada para visitantes.

A pequena Bolter discou rapidamente com seus dedos finos e compridos a palavra "MAGIA" com os números que indicavam suas respectivas letras necessárias. Fechou seus olhos; o caminho para o Ministério sempre lhe era turbulento, por mais que outros achassem-o calmo até demais. Segurando sua respiração, repassava em mente cada detalhe de que se recordava de seu último baile. Último baile, que, no entanto, não acabara como muitos esperavam. Uma moça de olhos psicóticos, azuis como o as águas caribenhas. Melys recordava-se dela, e recordava-se do que havia feito.

A meio-veela apertava suas mãos, cravando suas unhas em sua palma esquerda enquanto continuava seu percurso até o tribunal. "Apenas mais alguns passos...", pensou, enquanto via o elevador parar em seu andar de desejo. Lançou um sorriso tímido, porém encantador aos outros indivíduos presentes e seguiu seu caminho. As portas dos tribunais ainda encontravam-se abertas e, alguns bruxos e bruxas ainda adentravam o local.

Educadamente, Melysia aproximou-se de um guarda que ali estava, estacado, pronto para servir e proteger, e questionou-o onde deveria sentar-se. Era óbvio, nunca tivera a necessidade de visitar o tribunal. Não para testemunhar algo — e muito menos para ser julgada. Aproximou-se com passos leves e silenciosos até seu assento definido. A sua direita, Ilya e Lillith logo se aproximaram para tomar seus lugares, destacadas dos demais por serem as principais testemunhas do crime que ali julgariam.

O Ministro da Magia e o Juiz encontravam-se sobre um palanque a frente das outras testemunhas, vulgo alunos de Hogwarts, prontos para iniciarem o julgamento. Melysia, como sempre meticulosamente observadora, reparou na chegada de alguns aurores posicionados estrategicamente próximos às portas; em poucos minutos o Juiz proclamou-se, desejando ou então afirmando, uma boa noite a todos. Melysia movimentou seus lábios em resposta, desejando-lhe uma noite igualmente magnífica, o que sabia que, porém, não seria possível a todos que em breve, encontrariam-se no recinto.

Com um gesto rápido a autoridade pediu para que dois de seus empregados obedecessem sua ordem simples e direta: Que trouxessem a em breve, julgada.


Última edição por Melys L. Syddle Bolter em Ter Nov 26, 2013 6:54 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Informacion
Mensagens : 36
Pontos : 32
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Sophie D. Howard em Ter Nov 26, 2013 6:26 pm



Andrei na sala do tribunal. Me sentei em um dos bancos, na quarta fileira, junto de outros alunos. Eu não sabia bem do que se tratava aquele julgamento, ou sei lá oque, mas segundo oque havia ouvido era sobre o tal sequestro do baile. Eu não havia presenciado o tal, pois sairá antes do mesmo acontecer, mas mesmo assim -como os demais alunos que estavam presentes naquela noite -fui convidada a comparecer Tribunal. Enquanto o julgamento não começava cochichos tomaram conta da grande sala. Suspirei. Aos poucos mais pessoas foram chegando, junto a eles o Diretor Ptrelynoum, Lilith e Ilya, que logo tomaram seus lugares a frente dos demais presentes.  O juiz se pôs a frente, dando inicio ao julgamento. Fez sinal para que um homem qualquer buscasse alguém lá dentro. Valquíria, provavelmente. Arregalei levemente os olhos, olhando em direção a porta.  
avatar
Informacion
Mensagens : 71
Pontos : 159
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Valquíria C. B. Schatten em Ter Nov 26, 2013 6:26 pm

A senhorita Schatten estava lá, presa no ministério, aguardando calmamente a hora de seu julgamento. Os minutos se passaram, o "tic tac" apenas aumentava. Seu coração começava a se acelerar, a dúvida, o nervosismo, apareceram. Valquíria passou a ponta da língua no lábio inferior, o umedecendo. Logo alguns homens a levaram para o tribunal.
A ministerial trajava um longo vestido negro;  seus cabelos estavam presos, e os óculos sempre escorregaram para seu nariz. Ao olhar para o ministro, bateu a ponta do scarpin vermelho no piso e pendeu a cabeça para o lado esquerdo. Ela esboçava uma expressão vaga em sua face, como se nada a atingisse. Aqueles que a olhassem, poderiam dizer que ela era apenas uma garota, sem maldade alguma em sua mente. Seus lábios rosados se entortaram para o lado, sua cabeça pendeu para o lado contrário e seus olhos foram de encontro a Gregory.
Valquíria fechou os olhos por alguns segundos e depois os abriu, esboçando um doce sorriso nos lábios. Virou o rosto para o lado e avistou Aislinn, sua afilhada. Deu uma piscadela para a menina e pressionou os lábios, como se estivesse assoprando algo. A senhorita Schatten rolou os olhou por todos que estavam presentes, logo avistando Pria. Ergueu a cabeça e arqueou a sobrancelha, mordiscando os lábios ao olhar para a menina. O mordiscar de lábios eram um pequeno cumprimento a Pria.
Valquíria suspirou e revirou os olhos, como se sentisse entediada por estar ali. Conrad, o ministro, era seu primo, e esse era o motivo do nervosismo. Mas, ela precisava se controlar, sabia como usar máscaras, sempre soube. Olhou para o chão, perdendo-se em devaneios e ergueu novamente a cabeça, encarando todos que estavam ali presente, principalmente Wendel, o juiz, que por sinal fora seu amigo há alguns anos trás.

avatar
Informacion
Mensagens : 54
Pontos : 48
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Convidado em Ter Nov 26, 2013 6:30 pm

"Tell me more"

Mais um vez o sol parecia ter caído por sobre nossas cabeças. A escuridão ministerial transformava o leve brilho em uma onda arruinada de discrepância e ódio.
Sério e quase intocado por qualquer outra interferência vindoura, um velho preso em seus próprios sentimentos de loucura aguardava a um evento o qual fora estipulado momentos antes. De certo confiava inevitavelmente em sua mente alusiva a qual lhe fazia acreditar em uma onda de loucura, baseada em acontecimentos já estipulados por seu corpo altamente destruído por sua própria loucura estamentada em si próprio.

O salão, tão conhecido por seus olhos azuis banais, se estendia por todos os lados em uma onda quase enigmática de onda primária de tensão e cólera. Era quase possível sentir, a quilômetros dali a presença enigmática de algo que se espalhava pouco a pouco invadindo sorrateiramente o corpo quebrantado de cada um ali. Nem mesmo olhava para os lados, os grandes óculos de lentes reflexivas escondiam quase todo seu rosto e o casaco cor de peixe-morto se misturava com suas calçar xadrez e seu chapéu grande e profuso. (Acreditava, cegamente, que cada peça de roupa cuidadosamente selecionada teria o poder absorto de um significado qualquer em meio a uma casta de rituais alusivos.
A bengala exposta tocava o chão massivamente, criando um estalo quase que insuportável. Calado, fazia questão de se manter o mais direto possível, sem o soar de palavra zumbilante ou de estado indescritível. O toque cessou, quando as primeiras palavras soaram.

Revirou os olhos, aquele o qual possuía o direito “infinito” da palavra começou a falar. – Estupidez regurgitada ao mero acaso do improviso destinado ao fracasso... – Comentou, alto demais, com um alguém qualquer, ou melhor, a qualquer um que pudesse, e ou, se importasse em ouvir.
Se calou, embora resmungasse com freqüência, se importou em apenas ouvir, e quem sabe, talvez cochilar.






Informacion
Convidado
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Master em Ter Nov 26, 2013 6:42 pm
2ª Parte - O Julgamento


Convidado, seja bem vindo(a) a narração de nossa trama, abaixo seguirá algumas instruções para um bom desenvolvimento da mesma, espero que goste.
- Todos tem até 20 minutos para responder ao post do narrador, após o narrador postará novamente.
- Não existe ordem de postagem.
- Quem chegar depois da primeira postagem do narrador deverá postar como quem tivesse passado pela situação anterior.
- Mínimo 4 linhas de interpretação.
- Todas as ações são imprevisíveis, lembre-se que o narrador pode manipular seus atos.

O Ministro então ajeitou sua gravata e sentou em seu devido lugar enquanto o Juiz olhava para julgada e sorria gentilmente, logo desviando sua atenção e indo em direção aos olhares de Ilya, Lilith, Gregory e Arthur, encheu o pulmão de ar e fitou somente Ilya e Lilith.
- Senhoritas, é esta a mulher de quem se lembram?
Falou enquanto apontava em direção a Valquiria e sem demoras ambas afirmaram com um certo medo no olhar, encolheram-se na cadeira e então o Juiz acenou a cabeça em afirmação e olhou para para Gregory e Arthur.
- Vocês também foram vitimas do sequestros, recordam-se desta mulher?
Gregory a fitou por longos minutos e soltou um suspiro e proferiu as mesmas palavras de Arthur.
- Não senhor, eu não me lembro de nada daquele dia.
O juiz então olhou para o Ministro e sorriu gentilmente com um ar de "eu te disse" e fitou os olhos de Valquiria.
- Senhorita Schatten, estamos aqui hoje reunidos para tratar das acusações que foram feitas contra sua pessoa, nos foi contado que a senhorita participou ativamente do sequestro que aconteceu no dia do baile, não com sua forma atual, mas como parente próxima de nosso Ministro, tomou uma poção polissuco tornando-se cópia do mesmo e levando Ilya junto a você, mas com qual propósito, poderia nos dizer?
Alguns gemidos de pavor e surpresa tomou todo o salão e olhares arregalados agora a fitavam-se, alguns múrmuros foram feitos e então o juiz deu a vez para que a mesma falasse.
Editado por Narrador

avatar
Informacion
Mensagens : 188
Pontos : 412

Dados Especiais
Experiência : 00/100
G$: 00,00
Status:
StatusPontos
Vitalidade0
Energia0
Ver perfil do usuário
CLINICO GERAL
Unidade Hospitalar Magica

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Lilith H. Romanov em Ter Nov 26, 2013 6:48 pm

you knew i were trouble...

Eu já estava me sentindo meio cansada ali, era chato, fora que quando fomos sequestradas havia ficado meio em dúvida com o que estava havendo, afinal, meu sequestrador tinha tomado a imagem de minha irmã. Mas admito que a parte em que eu matei e fugi eu nem me importava se era ela ou não de verdade, só não queria que nada de ruim acontecesse.
Mas então colocaram uma mulher a nossa frente e nos perguntaram se havia sido ela, acenamos com a cabeça.
Eu sinceramente não sabia sobre o que era o julgamento no fim das contas. Mas recostei e fiquei ouvindo com atenção.

...so shame on you now

avatar
Informacion
Mensagens : 234
Pontos : 265
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Melys L. Syddle Bolter em Ter Nov 26, 2013 6:52 pm

E O VENTO LEVOU... MINHAS LEMBRANÇAS

Melysia observava cada movimento feito pelos seres a sua volta. Reconhecera alguns rostos, mas não importava-se em encará-los e tentar puxar assunto sequer. Não era o tipo de garota fofoqueira; não era o tipo de garota que adorava a desgraça alheia; era indiferente. Apenas estava ali, naquele momento, porque fora convocada, do contrário, encontraria-se deitada em sua bela cama, descansando até o momento em que não pudesse mais, ou melhor, que se entediasse e não quisesse mais aquilo.

Porém, era uma boa ouvinte e sabia respeitar, para que também fosse respeitada. Gravou cada palavra que fora proferida pelas autoridades do local e também por suas testemunhas que agora eram interrogadas. Não sabia deduzir o rumo que aquela noite tomaria, apenas esperava não ser colocada em encrencas, ou então, situações difíceis. "Não seja tola. Você está em um tribunal... A situação é difícil para todos.", seus pensamentos a atormentavam com suas sugestões do que poderia realmente ter acontecido. Afinal, não fora sequestrada para poder opinar sobre os primeiros momentos do julgamento que até então se decorreram.

Fechando os olhos por alguns instantes procurou imaginar-se no lugar das garotas, seu sufoco, seu desespero... Assim como o dos dois senhores que prestavam seus depoimentos no momento. Deveria ter sido... Trágico. Ou então, apenas mais um pouco de adrenalina para tais. Abrindo seus olhos novamente, encontrou-se rodeada por pessoas que cochichavam entre si, pareciam que nunca haviam ouvido falar sobre 'falsidade ideológica' tão comum no mundo trouxa e tão simples no mundo bruxo... Porém, sabia que, não importassem as perguntas, uma das pontas da trouxa que carregavam todo o mistério ali depositado iria se soltar.
avatar
Informacion
Mensagens : 36
Pontos : 32
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Mischa R. Howard em Ter Nov 26, 2013 6:53 pm

Devil In Disguise

 Finalmente o julgamento iria começar, dei um sorriso e me ajeitei em minha cadeira. Os desfechos desses julgamentos costumam ser bem interessante, ainda mais em acusações de sequestro, mas infelizmente não ouvi nada sobre morte.
Mesmo assim me ajeitei na cadeira fitando a mulher que estava ali, encarando seu julgamento prestes a se defender. Era prima do ministro, com certeza não daria em muita coisa e sairia impune, mas não custava esperar, e não é como se eu tivesse coisa melhor pra se fazer no momento.
Cruzei meus braços com um sorriso sádico de canto de boca atenta a toda minha volta enquanto prestava atenção ali.


♦ Mischa R. Howard ♦
avatar
Informacion
Mensagens : 119
Pontos : 123
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Dionisio R. Howard em Ter Nov 26, 2013 6:56 pm





Julgamento!



* Aquilo tudo já estava a me dar sono... como aqueles podiam ser tão insuportáveis e chatos.*
- Sinceramente, ela não parece com o Conrad!- * Ironizei para uma senhora ao lado.*
*A senhora suspirou como se estivesse incomodada com minha presença. Assistia toda aquela palhaçada, enquanto os ministeriais respiravam autoritariamente.*
- Ninguém merece!



Thanks B'doll @ TPO
avatar
Informacion
Mensagens : 340
Pontos : 344
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Nathan Webster em Ter Nov 26, 2013 6:56 pm

Apenas um trabalho;
Interagindo, mestrado...

Manteve seus olhos fixos na garota por mais algum tempo, explorando seu olhar como um dia costumava fazer. Nada lhe fora visível, decidiu ao fim, retomando assim sua posição inicial e direcionando o olhar sobre o aglomerado de pessoas nas fileiras de degraus. Alguns rostos eram facilmente reconhecido devido a traços familiares, porem outros lhe eram totalmente desconhecidos, novos seres a se rotular e interpretar presumiu afinal.

As testemunhas não estavam muito distante, jovens crianças trazidas de Hogwarts, que provavelmente estavam presentes no Baile. Virou-se e seguiu até onde se encontravam, deixando seu olhar passar de um a um, investigando abaixo de suas expressões nada confiáveis. Mas optou por deixar oculto esses pensamento. Olhou contra as garotas. - Senhoritas, é esta a mulher de quem se lembram? - Disse por fim, enquanto elevava uma das mãos contra Valquíria que agora o olhava. As meninas encolheram-se entre as cadeiras, tentando conter o medo já visível. Logo acenaram em concordância como resposta a pergunta .

Olhou para os garotos. - Vocês também fora vitimas do sequestros, recordam-se desta mulher? - Um dos garotos o fitou, o juiz correspondeu o olhar. Ele demandou em resposta - Não senhor, eu não me lembro de nada daquele dia. - Uma das vitimas não lhe servia como testemunha, e mesmo assim fora trazida a tribunal. Inútil, concluía.

Voltou seu olhar momentaneamente ao seu superior, buscando algum complemento, mas nada fora dito. Sorrio, logo olhando novamente contra a acusada.

Senhorita Schatten, estamos aqui hoje reunidos para tratar das acusações que foram feitas contra sua pessoa, nos foi contado que a senhorita participou ativamente do sequestro que aconteceu no dia do baile, não com sua forma atual, mas como parente próxima de nosso Ministro, tomou uma poção polissuco tornando-se cópia do mesmo e levando Ilya junto a você, mas com qual propósito, poderia nos dizer?

Comentários, múrmuros, e outros sons nada cômodos se formavam ao longo do salão, atrapalhando a linha de pensamento que Wendel sismou percorrer, deixando sua consciência acostumar-se com o fato que esta a acontecer. Movimentou uma das mãos enquanto ainda olhava para a garota, permitindo assim sua defesa.
Credits to Rapture

_________________
Nathan Webster
Get out your guns, battles begun, are you a saint, or a sinner? If loves a fight, than I shall die with my heart on a trigger.

-x-
avatar
Informacion
Mensagens : 13
Pontos : 13
Ver perfil do usuário
CLINICO GERAL
Unidade Hospitalar Magica

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Pria Amundsen Bitchshosk em Ter Nov 26, 2013 6:57 pm


This is that original♕
This has no identical



O ministro não demorou a se pronunciar. Pelo visto ele estava do mesmo modo que a maioria dos presentes e necessitava de um fim rápido daquela questão de calamidade total. Afinal, não é qualquer hora que sequestros sucessivos acontecem dentro de atividades festivas organizadas por Hogwarts e supervisionadas por membros do ministério. Todos se assentaram rapidamente em seus lugares para que o julgamento pudesse ser iniciado.  A réu Valquíria avistou a pequena Pria junto aos demais alunos e cumprimentou-a como sempre fazia. Pria cumprimentou-a se volta e finalmente observou o olhar severo do ministro. As perguntas eram simples, mas alguns dos sequestrados pareciam não saber a resposta. Para Pria isso era uma prova concreta de que algo estava muito errado. Sua vontade de indagar as garotas que afirmaram ter visto Valquíria como uma das sequestradoras era eminente. Alisou uma mão na outra na tentativa de conter sua raiva. Não que as garotas fossem alvo dela, mas sim quem as fizeram dizer tais mentiras desleais. Será que o mandante das mensagens que recebera estava ali assistindo o espetáculo estapafúrdio? Esperava que não. – Val, fica calma que você sairá ilesa dessa. – sibilou para si mesma na intenção de conter a ansiedade.
avatar
Informacion
Mensagens : 110
Pontos : 136
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Alaric C. Todd em Ter Nov 26, 2013 6:57 pm

The drug in me is you




Já estava entediado e pensando que ninguém iria falar até o Juiz começar com as perguntas. Ajeitei minha franja , me sentei direito na cadeira e arrumei minha camisa. Mascava meu chicle despreocupado, aquilo parecia um caso interessante e como eu não tinha o que fazer, melhor estar ali do que sem fazer nada. Logo que ele perguntou para as moças e para os rapazes, fiquei  boiando. Larguei um suspiro baixo e coloquei minha franja para trás, aquilo parecia que iria durar muito. Olhei para a acusada, ela não parecia ser culpada, mas isso não era eu que iria dizer e pouco me importava, estava ali apenas para me divertir e passara o tempo.



And I'm so high on misery

avatar
Informacion
Mensagens : 41
Pontos : 47
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Aislinn M. S. Bitchshosk em Ter Nov 26, 2013 6:58 pm

Era uma vez ...
Aislinn, a menina que falava com as cobras.


Meu olhar encontrou Pria, ela estava a algumas cadeiras de distância de mim, meu olhar de uma vez ou outra encontrava ao do auror a meu lado, em vezes ele me olhava furioso, em outras ele prestava a atenção nos outros que iriam depôr. Bufei de lado não creditando em nada do que eles diziam, Valquíria não poderia ser culpada, ela não faria isso, meu olhar continuava vidrado em Val, minha garganta estava seca e minhas mãos tremiam em pensar que na pessoa que confiei e que eu passei vários momentos poderia fazer aquilo. Fechei os olhos e minha cabeça doía, naquele momento eu quis me levantar e correr pra fora daquele tribunal, eu me perguntava o que fazia ali quando abri os olhos e mordi o lábio inferior com força, minha cabeça latejou do lado direito quando meus pés alcançaram novamente a cadeira, mas dessa vez sem o auror falar ou fazer algo, nem me encarou, eu olhava a cena um pouco de longe, esperava um fim decente.

avatar
Informacion
Mensagens : 126
Pontos : 146
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Remo H. Romanov em Ter Nov 26, 2013 7:04 pm
I Feel Smart
Trabalho.


Manteve-se parado, em pé, em frente a porta, com as mãos paradas ao lado do corpo.
Todos estavam dentro do tribunal e já ocuparam seus devidos lugares. Fechou, então, a porta e caminhou silenciosamente, parando próximo ao Ministro.
Passou os olhos por todas as pessoas presentes. “Isso aqui daria uma matança e tanto.” pensou, pousando seu olhar na irmã. Encarou-a, quase sem piscar, e descobriu tudo sobre o sequestro, e como tinha fugido. “Vou falar com ela depois, mas agora...” e passou a encarar a garota sendo julgada.
“Que coisa chata.” Não tinha o que fazer se não ficar parado, em pé, observando tudo, escutando. Murmúrios, pessoas trocando olhares preocupadas.
Fechou e abriu a mão esquerda, roçando os dedos no cabo da varinha, desconfortável "Um segundo e estariam todos mortos... Pelo menos os que tem que morrer." Ainda assim, nada fez.

avatar
Informacion
Mensagens : 15
Pontos : 21
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Iron Syddle Bolter em Ter Nov 26, 2013 7:13 pm


Curve-se


Faltavam poucos minutos para o julgamento começar, então ele se apressou pelo Ministério. Seus sapatos sociais bem polidos batiam com uma determinação diabólica pelo piso negro e refletor. Sua máscara fazia com que fosse impossível não notá-lo, mas não apenas isso. Tinha uma postura ereta, quase curvando as costas. Olhava sempre para a frente, o que fazia parecer que tratava a todos com desdém. Vez ou outra ouvia murmúrios, mas, dane-se. Ele era um Syddle Bolter. Estava acostumado a ser odiado, e ainda mais, ser orgulhoso além dos outros. Como sempre, carregava uma bengala na mão direita. Uma cartola antiga e todos os trejeitos de um lorde.
Depois de subir pelo elevador, cortou o corredor como se estivesse indo prender alguém. Abriu a grande porta que dava para o tribunal de supetão, o que fez com que todos olhassem para ele. Sem mover um músculo para retribuir o olhar, não se importava com nenhum ali. Por ele, que todos morressem de peste negra.
Andou firmemente até seu lugar, e ali se sentou. Logo à frente dele havia um datilógrafo, enfeitiçado para não fazer barulho. Não gostava de penas de repetição. Conseguia escrever rápido, atento, e seus ouvidos eram bem treinados. Como um corvo, ele sabia de tudo. Ele podia ver tudo, ouvir tudo, e ninguém saberia o que se passava pela mente dele.
Passado alguns instantes, a acusada apareceu. Ele se lembrava dela, trabalhava ali. Iron a encarou por alguns instantes, e quase sem perceber, começou a escrever tudo que acontecia, mas sem tirar seus olhos dela. Pelo visto o Ministério havia dado um escorregão. Outro.



Template feito por Zafrina - TPO
avatar
Informacion
Mensagens : 12
Pontos : 12
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Valquíria C. B. Schatten em Ter Nov 26, 2013 7:21 pm

Schatten continuava parada, apenas observando e ouvindo atentamente tudo que diziam. Conseguia ouvir até o que os aurores sussurravam uns para os outros. Mordiscou os lábios e notou que mais conhecidos começavam a chegar. "O que é isso? Um circo? Os palhaços são os aurores?" - Pensou a ministerial. Seus olhos rolavam para os lados, procurando alguém em especial. Mas talvez ele não estivesse ali. Respirou fundo e a imagem de Lucian veio em sua mente, o que a fez sorrir.
Valquíria olhou novamente para Gregory, ouvindo a resposta que o Diretor de Hogwarts havia acabado de dizer. Assoviou e franziu o cenho, suspirando. Ela sabia o que poderia acontecer, mas era inocente. Todos sabiam. Ou não.
Schatten finalmente ouviu a voz do adorável Juiz, que por sinal, estava falando com ela. Arqueou a sobrancelha esquerda e o encarou, olhando-o fixamente nos olhos, como se pudesse penetrar a alma do mesmo. Virou o rosto, olhou para o ministro e cerrou os olhos. Mas, logo seus olhos foram de encontro a Lilith. Esboçou um doce sorriso a menina e depois voltou a olhar para Wendel.
- Boa noite a todos que se prestaram a comparecer ao meu julgamento. - Pausou a fala e seus olhos "passearam" por todo tribunal. Pigarreou e respirou fundo, olhando para o juiz. - Pois bem... As acusações são falsas. Afinal, eu estava trabalhando, e não faço ideia de quando foi o baile. Não sou a única a ter acesso ao Ministro. Todos sabem muito bem de tal coisa... - Ergueu a cabeça, demonstrando superioridade e coragem, como se não estivesse sentindo medo do julgamento, mostrando a todos que era inocente e que não tinha nada a esconder. - Não sequestrei alunos, e muito menos o brilhante Diretor de Hogwarts. Por que faria tal coisa? São crianças! Basta olhar para essas meninas e poderão ver em seus olhos como são puras e delicadas... - Olha para as meninas. - São duas rosas que irão desabrochar no futuro. - Olhou novamente para o Juiz. - Além do mais, trabalho no Ministério da Magia. Sinto-me ofendida ao ser considerada uma traidora. E... poção polissuco?  Creio que não sou uma criança para usar. Poções desse nível geralmente são usadas pelos alunos, e não por uma ministerial, certo? - Revirou os olhos e sorriu. - E respondendo o último item de sua pergunta, caro Juiz...  Não tenho motivo algum para sequestrá-los, nunca tive. O senhor Diretor sempre fora um ótimo homem. Honrado e honesto. Assim como os homens de minha família. Jamais faria mal a alguém tão brilhante... Julgo a intelectualidade uma das coisas mais raras e perfeitas do mundo. - Virou-se de frente para todos os presentes no tribunal. - Queridos, acham mesmo que eu, Valquíria Coraline Babbage Schatten, teria motivos reais para sequestrar duas crianças? Concordam com tais acusações? Acham que eu seria capaz de sequestrar o digníssimo diretor de Hogwarts? - Virou o corpo e pendeu a cabeça para o lado esquerdo, olhando o juiz fixamente nos olhos. Mas, de repente, seus olhos foram de encontro ao escrivão. Respirou fundo e desviou o olhar. Aquele não era o momento, não, realmente não era.


avatar
Informacion
Mensagens : 54
Pontos : 48
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Master em Ter Nov 26, 2013 7:32 pm
2ª Parte - O Julgamento


Convidado, seja bem vindo(a) a narração de nossa trama, abaixo seguirá algumas instruções para um bom desenvolvimento da mesma, espero que goste.
- Todos tem até 20 minutos para responder ao post do narrador, após o narrador postará novamente.
- Não existe ordem de postagem.
- Quem chegar depois da primeira postagem do narrador deverá postar como quem tivesse passado pela situação anterior.
- Mínimo 4 linhas de interpretação.
- Todas as ações são imprevisíveis, lembre-se que o narrador pode manipular seus atos.

Conrad soltou uma risada e olhou para o Juiz e fez uma careta de "eu te avisei", já a de Wendel foi apenas fechar seu semblante e fitar a julgada. Desceu do palco lentamente e caminhou até a mulher, colocou seus braços na cadeira onde a mesma estava e aproximou seu rosto do dela encontrando seu olhos.
- Certeza de que essa é a verdade, senhorita Schaten?
Afastou o corpo e olhou para todos com um tom sarcástico e maníaco no olhar. A porta no fundo da sala se abriu e Sienna adentrou o recinto com um sorriso nos lábios e posicionou-se atrás de Dionisio. O juiz agora a fitou novamente e retirou de seu bolso um pequeno frasco com a poção da verdade.
- Então a senhorita não veria problema em tomar um pouco da poção da verdade, correto? Checar é sempre bom e mais seguro.
O corpo de Conrad enrijeceu em sua cadeira e fitou Valquiria apreensivamente, pigarreou e levemente ergueu-se e tomou a palavra.
- Senhor Juiz, acho que o uso da poção é desnecessário, visto que minha prima também faz parte de nossa equipe.
Pensar que a prima poderia ser culpada de tais crueldades o fazia se arrepiar, tentava o máximo tira-la daquilo mas parecia que as acusações e provas eram maiores.
- Ministro, não me importa se ela é ou não sua prima e uma Ministerial, acontece que acusações foram dadas e o mesmo seria feito caso o senhor fosse acusado em demasia.
Soltou um suspiro e levou o frasco da poção aos lábios de Valquiria e a fez beber e após alguns minutos a olhou nos olhos novamente e falei em alto bom som.
- Diga-nos Valquiria, porque e o que a levou a sequestrar essas pessoas?

Editado por Narrador

avatar
Informacion
Mensagens : 188
Pontos : 412

Dados Especiais
Experiência : 00/100
G$: 00,00
Status:
StatusPontos
Vitalidade0
Energia0
Ver perfil do usuário
CLINICO GERAL
Unidade Hospitalar Magica

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Conteúdo patrocinado
Informacion
Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 :: Nível 10

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
O RPG PASSA-SE NO MUNDO DE HARRY POTTER, CRIADO POR J.K ROWLING. SUA TRAMA FORA INTEIRAMENTE DESENVOLVIDA PARA USO DO TRIWIZARD PELA STAFF DO MESMO, E AGRADECEMOS DESDE JÁ A TODOS OS NOSSOS JOGADORES QUE COM SEUS PERSONAGENS AJUDARÃO NO DESENVOLVIMENTO DESTA.

A NOSSA SKIN FORA INICIALMENTE CRIADA POR DAKARIA, TENDO TODAS AS EDIÇÕES EXECUTADA POR S.L (FREI GORDUCHO). AS IMAGENS USADAS FORAM TIRADAS DO GOOGLE E EDITADAS POR S.L. LEMBRE-SE, PLÁGIO É CRIME.